quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Casa 58






Casa 58


Uma voz fala no vazio
voz de quem não estava lá
a vida é feita de mistérios

Quem atirou? E quem mandou?
A voz do enigma não se cala
o mordomo estava na sala?

O porteiro que se enganou?
Mas quem o crime planejou?
Mas quem o crime festejou?

A festa que mal começou
e gente santa festejava
era uma comunista a menos


                      Gregório Vaz






A suicida





A SUICIDA

Uma mulher caiu do vigésimo andar
bem a seus pés
afastou-se para não molhar os pés no sangue
mas não pôde desgrudar-se do olhar
da mulher morta
era como se olhasse para ele
                        numa súplica final






segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Visualizações de páginas da semana passada