terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A borboleta amarela






A BORBOLETA AMARELA

Encontrei uma borboleta morta na porta de casa.
Era uma borboleta amarela como ouro.
Era bela como o ouro.
Lembrava o sol.
E doía, essa morte sem significado.

Por que essa borboleta estava ali?
Por que a beleza, diante da morte?
Eu me perguntava e as questões se multiplicavam:
Por que estamos aqui?
A beleza é mais forte diante da morte?

A borboleta jazia no chão.
Depois foi levada pelo vento
como uma folha dourada
que ganhasse asas
e voasse.


domingo, 5 de fevereiro de 2012

EPIGRAMA


O conhecimento da morte é a mesma coisa que

o conhecimento do amor.

O túmulo é a continuação do tálamo.




Visualizações de páginas da semana passada