quarta-feira, 12 de maio de 2010

sábado, 8 de maio de 2010

O outro

Estou onde não estou
e por mais que me procure
vejo sempre outro no espelho.

Resíduo

De tudo fica um pouco.
Nunca é muito pouco.
Às vezes é tudo.

Eu bem que gostaria de morrer,
mas não já.
Viver sempre também cansa (isto
é um poema de José Gomes Ferreira),
mas eu ainda não cansei.
E se cansar não vou contar para ninguém.

Drummond enumerou demais.
Basta um objeto,
um cisco,
um dejeto.
Já é vida demais.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Cidadezinha qualquer

A vida passa.
A carroça vai devagar,
mas a vida passa.
Os cachorros latem, a caravana se arrasta, uma tartaruga carrega o mundo no casco,
mas a vida passa.
Dizia sabiamente o poeta:
"Sopra, que passa."

Visualizações de páginas da semana passada