sábado, 5 de fevereiro de 2011

RUÍNAS



 
As ruínas da cidade foram salgadas
para que se conservasse a sua ignomínia

O que esperar dos derrotados
senão o sal nas pedras ao vento do mar?

Depois de Cartago destruída
para Roma tudo é possível

Todas as palavras são parábolas
batem no muro branco e voltam

As parábolas violam
as violetas e as aranhas

Na minha língua ainda sinto o sal
e alguma palavra seca


Um comentário:

  1. Meu querido Poeta

    Um poema que é um grito em cada palavras.

    Deixo beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Visualizações de páginas da semana passada